Bebê norte-americana “nasce” duas vezes após tumor ser detectado na barriga

Imagem : Uol

Em muitos casos, pacientes que se curam de câncer dizem que “nasceram de novo”. No caso da pequenina norte-americana Lynlee Hope, contudo, a afirmação pode soar quase literal. Ainda como feto, a garota foi diagnosticada com um tumor e chegou a ser tirada da barriga da mãe antes de seu nascimento de fato.

Tudo começou na 16ª semana de gestação de Margaret Boemer, mãe de Lynlee. Em exames de rotina, médicos descobriram que o feto tinha um enorme e raro tumor próximo ao cóccix. Em pesquisas, os pais da garota descobriram que apenas quatro hospitais nos Estados Unidos já haviam feito com sucesso cirurgias em fetos com este tumor. Foi então que a peregrinação começou.

Margaret e seu marido, Jeff, foram a dois hospitais de Houston, no Texas, conversar com médicos. Em um deles, foram aconselhados a terminar a gravidez por causa do tamanho do tumor e dos riscos à saúde da mãe. Em outro, ganharam uma opção mais positiva, ainda assim realista: foi sugerido que fizessem uma cirurgia fetal aberta, com 50% de chances do bebê se salvar. Decidiram pela segunda alternativa.

Cirurgia dramática

Com o crescimento do tumor, que ficou praticamente maior do que o feto e sugava seu sangue, a mãe e o bebê foram submetidas à cirurgia na 23ª semana de gravidez. A operação foi praticamente como um nascimento antecipado. Os médicos cortaram a barriga de Margaret e retiraram seu útero. O problema é que o tumor era tão grande que uma enorme incisão teve que ser feita.

Darrell Cass, co-diretor do hospital que realizou a operação, em entrevista publicada pela CNN

A cirurgia, que durou mais de cinco horas, culminou em mais de 90% do tumor removido do feto. Em muitos momentos da operação, o coração de Lynlee praticamente parou. O então feto passou por reanimações e recebeu até transfusão de sangue, segundo relato da mãe publicado em site no qual faz vaquinha para pagar os custos do tratamento. Eles já conseguiram US$ 4.520 dos US$ 10,5 mil que pediram.

O final feliz

Após a cirurgia, o feto foi colocado de volta na barriga da mãe. Aí bastou esperar. Margaret ficou no hospital por mais uma semana, enquanto Lynlee se recuperava. Nos três meses seguintes, a mãe e o bebê seguiram descansando em uma clínica com o acompanhamento de profissionais. No dia 6 de junho, Lynlee nasceu oficialmente.
Agora, a pequenina garota já está com quatro meses. O caso chegou à mídia norte-americana, com reportagens se espalhando por sites e redes de televisão dos Estados Unidos. A mãe espera que o caso dê mais esperança a outras crianças que sofrem do mesmo problema.

Margaret Boemer, em sua página no Facebook

Fonte: http://www.uol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s