Mamães cuidado!Comer salsicha aumenta o risco de câncer e leucemia em crianças, revela estudo

Olha essa matéria sobre consumo de salsicha, é algo prático , rápido, gostoso… mas que pode fazer muito mal os nossos pequenos.

Quando éramos crianças, adorávamos comer cachorro-quente!

Era um lanche prático.

Tudo o que tínhamos a fazer era aquecer a salsicha, colocar no pão e comer.

Também adorávamos o cachorro-quente da nossa lanchonete favorita.

Ainda bem que mudamos nossos hábitos e hoje riscamos esse sanduíche do nosso cardápio.

O que aconteceu foi que crescemos, nos informamos e vimos que cachorro-quente é um grande risco à saúde.

Mas muita gente mundo afora, mesmo com tanta informação, ainda é fã do velho pão recheado com salsicha.

Você que está nos lendo é mãe ou pai?

Então atenda a este nosso apelo: pare de dar cachorro-quente às suas crianças!

Não há nenhum exagero nesse apelo.

Mas apenas a preocupação de quem sabe o quão nocivo é esse “sanduba”.

No mundo inteiro, os casos de câncer infantil não param de aumentar.

E certamente a alimentação moderna está por trás disso.

De acordo com artigo publicado no jornal Los Angeles Times, citando pesquisa da Universidade da Califórnia publicada na revista Cancer Causes and Control, crianças que comem 12 ou mais cachorros-quentes por mês têm 9 vezes mais risco de desenvolver leucemia.

O LA Times acrescenta informando que duas outras pesquisas publicadas na mesma edição de Cancer Causes and Control sugerem que crianças cuja mãe comia regularmente cachorro-quente antes de elas nascerem têm o dobro do risco normal de desenvolver tumores cerebrais.

Basta que a mãe consuma pelo menos um cachorro-quente por semana durante a gravidez para haver esse risco, segundo as pesquisas.

As pesquisas foram comandadas pelo epidemiologista John Peters e podem  ajudar a explicar por que a incidência de leucemia infantil e de tumores cerebrais tem aumentado tanto nas últimas décadas.

Mas o que há de tão errado num delicioso cachorro-quente?

A salsicha é a resposta.

Salsichas contêm nitritos, que funcionam como conservantes e são utilizados principalmente para combater o botulismo.

Durante o processo de cozimento, nitritos combinados com as aminas naturalmente presentes na carne formam compostos cancerígenos.

Suspeita-se também que os nitritos podem combinar com aminas no estômago humano para formar compostos N-nitrosos.

Esses compostos são conhecidos agentes cancerígenos e têm sido associados com o câncer da bexiga, estômago cavidade oral, cérebro e esôfago.

Mas um momento…

Alguns vegetais contêm nitritos, e eles causam câncer também?

É verdade que os nitritos são comumente encontrados em muitos vegetais verdes, especialmente alface, aipo e espinafre.

No entanto, o consumo de vegetais parece ser eficaz na redução do risco de câncer.

Como isso é possível?

Nitritos de vegetais também têm vitaminas C e D, que servem para inibir a formação de compostos N-nitrosos.

Além disso, os nitritos de vegetais não foram adicionados artificialmente, eles fazem parte de um processo da natureza.

Salsichas não contêm apenas nitrito como ameaça.

Nitratos, outro conservante, também marcam presença e aumentam o risco de câncer.

É possível, porém, produzir salsicha sem nitritos e nitratos e, assim, reduzir o risco de câncer.

Já existem modernos métodos de produção que dispensam o uso desses conservantes.

Mesmo assim, alguns fabricantes usam nitritos para dar a cor avermelhada que seduz muitos consumidores de salsicha e outros embutidos.

A cor vermelha artificial das carnes processadas transmite uma falsa ideia de frescura, com o intuito, na verdade, de enganar os consumidores.

Em resumo, é possível produzir salsichas e outros embutidos sem nitritos, como já está ocorrendo nos Estados Unidos e em alguns países da Europa (ver foto acima).

E, portanto, já está na hora do consumidor brasileiro também exigir isso.

Fonte: Cura pela Natureza Comer salsicha aumenta o risco de câncer e leucemia em crianças, revela estudo | Cura pela Natureza

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook@acordeimae e nos siga no instagram@acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Anúncios

Hora de sonhar.. 😇

Horário de verão bagunçou a rotina do bebê? Conte pra gente! Alguma mamãe acordada? 

By Simone Araújo
Curta nossa página no facebook@acordeimae e nos siga no instagram@acordeimae_

Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acesse http://www.acordeimae.com.br

Brotoeja ,você sabe o que é?

Bom dia Mamães!

Vou falar de um assunto que causa um pouco de dúvidas entre as mamães; a Brotoeja.

Ela é uma uma doença da pela que tem como característica deixar a pele vermelha com bolinhas causando muita coseira e ardor.

Costuma aparecer no rosto,  pescoços , costas e pernas.

Brotoeja ou miliária é a erupção cutânea causada pelo aumento da produção e obstrução do canal da glândula que produz o suor. Com a obstrução, o suor não consegue atingir a superfície e extravasa para dentro da pele.

  • .Ocorre devido à temperatura ambiental elevada, exposição prolongada ao sol, excesso de agasalhos, uso de roupas de tecido sintético, banhos prolongados, surtos febris e exercícios físicos.
  • Recém-nascidos e obesos são mais predispostos. As lesões coçam.
    .
    📢 PREVENÇÃO E TRATAMENTO
    .            
  • É conseguida pelos meios que evitam o excesso de sudorese: roupas ventiladas e de algodão, banhos frios e proteção contra o calor.
  • A pasta d’Água e com goma de tapioca ou amido e água (fórmula popular) são úteis no tratamento.
  • Corticoide de baixa potência em creme alivia a coceira e diminui o processo inflamatório. Se houver pústulas, lave a região com água e sabonete comum e o médico pode indicar remédio com antibiótico local.

    Converse com o seu médico.

    Fonte colaboradora: Dr. Otelo Ferreira, pediatra da Universidade Federal de Pernambuco e Dra. Luísa Arnaud do IG @wowmaes

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook@acordeimae e nos siga no instagram@acordeimae_

Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Ganho de peso na gravidez, cuidado!

Olá Mamães!

Muito cuidado com ganho excessivo de peso durante a gravidez, mulheres que ganham muito peso na gravidez apresentam o risco em se tornarem obesas após o parto, além de doenças na gravidez com eclampsia e Pré eclâmpsia e outras.

A maior parte do ganho de peso na gravidez ocorre no 2º e no 3º trimestre. No primeiro trimestre, o ganho de peso é mínimo, variando entre 0,5 a 2,0 kg. Não só não há nenhuma necessidade de engordar nesta fase, como é difícil fazê-lo pois há  na gravidez já que é nas primeiras semanas de gravidez a gestante costuma ter enjoos e vômitos frequentemente  A partir do segundo trimestre de gravidez, o ganho de peso acelera-se, devendo ficar em torno de 0,5 kg por semana.

O termo “comer por dois” durante a gravidez é um mito que não deve ser seguido. Basta um aumento de 200 a 300 kcal por dia na dieta para que a gestante consiga atingir a meta de 0,5 kg por semana. A gestante deve comer pequenas porções, várias vezes por dia. Não é indicado um jejum maior que 4 horas durante o período que a gestante esteja acordada.

Mulheres previamente obesas não devem tentar fazer dietas muito restritivas durante a gravidez. Se você não emagreceu antes, não será agora, grávida, que deverá fazê-lo. O aconselhável é ter uma dieta saudável, evitando apenas os exageros nas calorias, açúcares e frituras. O objetivo da gestante com sobrepeso não é emagrecer, mas sim manter o seu ganho de peso gestacional dentro da faixa indicada.

CONSEQUÊNCIAS DO GANHO DE PESO GESTACIONAL EXCESSIVO OU INSUFICIENTE

A diretrizes sobre o ganho de peso gestacional de 2009 foram estabelecidas após a avaliação de 150 estudos científicos publicados entre os anos de 1990 e 2007.

Entre as evidências encontradas nessa revisão podemos destacar os seguintes fatos:

– Quanto maior é o ganho de peso gestacional, maior é o risco da gestante precisar se submeter a um parto cesária

-Mulheres com aumento do peso gestacional inferior ao desejado apresentam maior risco de terem bebês pequenos, com baixo peso ao nascimento e um maior risco de terem partos prematuros. Por outro lado, mulheres com aumento de peso gestacional acima do desejado apresentam maior risco de terem bebês grandes e com elevado peso ao nascimento, fenômeno chamado de macrossomia (bebês que nascem com mais de 4 kg).

– Em média, para cada quilo de ganho de peso gestacional, o peso do bebê aumenta seu peso entre 16,7 e 22,6 gramas.

– Mulheres que ganham peso excessivamente durante a gravidez têm maior risco de não conseguirem voltar para o seu peso original após o parto. Mulheres já previamente com sobrepeso e que ganham peso excessivamente na gravidez têm um maior risco de tornarem-se obesas ou agravarem a sua obesidade já existente. 40% das mulheres com elevado ganho de peso gestacional permanecem, meses após o parto, com cerca de 8 a 10 kg acima do peso que tinham antes de engravidar.

– O excesso de ganho de peso gestacional também tem sido associado a um risco aumentado de hipertensão gestacional, pré-eclâmpsia e diabetes gestacional

– O excesso de ganho de peso gestacional aumenta o risco de obesidade infantil, diabetes e hipertensão nas crianças.

Fique atenta!

Imagem Companhia da Mama

 

Segue tabela de ganho de peso saudável

Imagem : MD Saúde

Fonte: MD Saúde

Sempre faça o pré-natal corretamente e siga as instruções de seu médico.

Queremos saber?

Quantos quilos engordaram na gravidez ? Comente

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook@acordeimae e nos siga no instagram@acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Perigo! O uso de antibióticos cedo em bebês ligada a alergias

cropped-baby-84552_640.jpg

Foto: Pixabay

BEBÊS aos quais são  dados antibióticos nos dois primeiros anos de vida são mais propensos a desenvolver alergias quando adultos, de acordo com uma extensa análise de estudos clínicos anteriores envolvendo cerca de 400.000 pessoas.

As conclusões, foram apresentadas este setembro de 2016 na reunião anual da European Respiratory Society, em Londres, apontam para uma clara associação com o risco de  alergias e febre do feno quando na fase adulta.

Algumas pesquisas anteriores sugeriram uma ligação entre o uso de antibióticos cedo e alergias, mas os resultados têm sido inconsistentes.

O pesquisador chefe Fariba Ahmadizar da Universidade de Utrecht, disse antibióticos provavelmente interrompido o sistema imunológico do organismo, impactando na flora bacteriana no intestino, o que pode afetar negativamente a resposta imune.

Os cientistas  estavam há muito tempo intrigados com crescentes taxas de alergia em países desenvolvidos, com muitos a especular que a mudança de exposição a germes na infância pode ser o culpado, embora o mecanismo exato para este permanece obscuro.

A mais recente pesquisa envolveu arrasto de volta através de 22 estudos realizados entre 1966 e 2015.

Depois de partilha dos resultados, Ahmadizar e os colegas encontraram um risco aumentado de alergias devido ao uso vida precoce de antibióticos de 15 a 41 por cento, enquanto o risco febre do feno aumentou 14 a 56 por cento.

A associação com alergias foi mais forte quando os pacientes receberam  antibióticos até os 2 primeiros anos de vida.

Adam Finn, professor de pediatria na Universidade de Bristol, que não estava envolvido na pesquisa, disse que os resultados adicionado peso  quando a idade adulta , seria também esta uma  evidência da desvantagem de longo prazo do uso de antibióticos.

Os médicos já estão preocupados com o surgimento de resistência aos antibióticos devido ao uso excessivo de drogas.

Ainda assim, Finn e outros especialistas dizem que os somente os  médicos sabem quais antibióticos  necessários para equilibrar os riscos e benefícios, uma vez que os antibióticos permanecem armas essenciais na luta contra infecções bacterianas, salvando milhões de vidas.

Fonte:  Staff writer and ReutersNews Corp Australia Network / http://www.news.com.au

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook@acordeimae e nos siga no instagram@acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Mancha Mongólica , você sabe o que é?

Foto: Saúde e Medicina

O que é mancha mongólica?

É uma mácula que possui coloração azul/acinzentada bastante frequente em recém-nascidos de origem africana, asiática ou indo-americana. A mancha tem aspecto irregular e geralmente surge em áreas como as nádegas e as costas, podendo manifestar-se também, porém com menos frequência, nas coxas ou ombros.

A mancha mongólica acomete tanto o sexo masculino como feminino, sendo que possui regressão espontânea por volta dos 2 ou 3 anos de idade. Sua coloração azul/acinzentada se dá devido à localização dérmica dos melanócitos, tendo tamanho variável e uma textura geralmente como a da pele.

A condição é benigna e sua etiologia é congênita, estando desde o momento do nascimento já presente na criança. O diagnóstico é basicamente clínico e não é preciso realizar nenhum tipo de tratamento, já que a mancha tende a desaparecer com o tempo. No entanto, é muito importante que um médico seja consultado, para que o correto diagnóstico seja estabelecido e transtornos futuros evitados. A grande maioria das doenças pode ser melhor tratada quando é precocemente detectada.

Como se adquire

A mancha mongólica é uma condição benigna e congênita, já presente desde o momento do nascimento nas crianças. A mácula é frequente entre recém-nascidos de origem asiática, africana ou indo-americana, podendo afetar tanto o sexo masculino quanto o sexo feminino.

Os locais mais acometidos são as nádegas e as costas, sendo possível, entretanto, um pouco menos frequente, surgir nas coxas ou nos ombros. Na grande maioria das vezes ela desaparece por volta dos 2 ou 3 anos de idade.

Sintomas

A mancha mongólica surge ainda no momento do nascimento. A coloração é geralmente azul/acinzentada e frequentemente é confundida com hematomas. A textura é como a da pele e sua área é plana. O tamanho pode variar bastante e os bordos são bem limitados.

As nádegas e as costas são os locais mais acometidos pela mancha mongólica. Um pouco menos comum, porém não impossível, é o aparecimento da mácula nos ombros ou nas coxas. O sinal é bastante característico, sendo o diagnóstico baseado em seu aspecto. A condição não exige tratamento, pois é benigna e não provoca nenhum tipo de sintoma, além da mácula em si. Geralmente a mancha mongólica desaparece sozinha depois dos 2 ou 3 anos de idade, podendo prolongar-se mais ou menos para ir embora.

Apesar de não exigir tratamento e de ser uma condição benigna, é fundamental que um médico seja consultado. Somente um profissional pode avaliar adequadamente a situação e decidir qual será a abordagem a ser tomada.

Diagnóstico

Diante de qualquer alteração ou sinal no corpo é muito importante consultar um médico. A mancha mongólica é uma condição benigna, entretanto, é necessário que um profissional a avalie para que transtornos futuros sejam evitados. Além disto, é preciso ter certeza do diagnóstico, de forma que o tratamento seja o mais efetivo possível.

O diagnóstico da mancha mongólica é basicamente clínico. O médico irá avaliar a condição da mácula e o seu aspecto, assim como provavelmente fará algumas perguntas ao pai e à mãe do recém-nascido. É bastante comum os pais acharem que a macha teve origem no momento do parto, por ser semelhante a um hematoma, no entanto, não há nenhuma relação entre ambas as situações.

Como é feito o tratamento

Conforme já mencionamos anteriormente, a mancha mongólica não necessita de tratamento. A condição é benigna e não provoca nenhum tipo de sintoma, exceto a mácula característica. Na grande maioria das vezes ela tem um regressão espontânea por volta dos 2 ou 3 anos de idade, podendo prolongar-se mais ou menos para desaparecer.

Apesar da condição não requerer tratamento, é importante mantê-la sob observação. Além disto, é fundamental que um médico seja consultado no instante em que a mesma for notada, de forma a se estabelecer o diagnóstico correto e de dar ou não início a um tratamento específico. Nunca realize auto-medicação, pois todas as condições necessitam ser avaliadas e certos fármacos podem piorar ainda mais a situação. A mancha mongólica possui um aspecto bastante peculiar, no entanto, pode ser confundida com outras condições, portanto, procure um médico para que o diagnóstico correto seja estabelecido.

Como prevenir

Não existe uma medida preventiva com relação ao surgimento da mancha mongólica. Esta é uma condição benigna e congênita, ou seja, está presente desde o momento do nascimento. Muito mais frequente entre recém-nascidos de origem africana, asiática ou indo-americanos do que entre os caucasianos, a condição surge e desaparece espontaneamente.

Apesar de benigna, a mancha mongólica pode ser confundida com outras condições. Portanto, consultar um médico para o correto diagnóstico é fundamental. A grande maioria das condições pode ser melhor tratada quando é precocemente detectada, por isto, realize exames de rotina e consulte um médico periodicamente. A saúde de um recém-nascido é bastante frágil e as condições manifestam-se com maior força neste período, portanto, com eles é preciso ter atenção redobrada.

Fonte:  Saúde e Medicina Mancha Mongólica | bebê, esverdeada, azulada, preta

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook@acordeimae e nos siga no instagram@acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Super dica para assaduras

Em tempo de rotavírus, intolerância a lactose  e muitas outras que  tornam as fezes dos bebês mais ácidas, aqui vai uma uma dica que eu utilizo aqui em casa com Marco Antônio e que é tiro e queda.

Principalmente por que estas assaduras muitas vezes tem como causa fungos.. aí nada resolve.

Primeiramente esqueça os lenços umedecidos limpe o local  com a água limpa e sabonete, sem esfregar, com muito cuidado.

Aqui vai minha receita: ( Depois da higiene local)

  • Passe uma camada generosa de Dermodex Tratamento
  • Passe  uma camada generosa de Bepantol Baby Creme Preventivo de Assaduras
  • E Polvilhe com vontade Maizena ( amido de milho)
  • Assim que notar que o bebê fez cocô troque imediatamente ( se não não existe receita que irá dar certo, ok!?)

Aqui essa semana tive que acrescentar uma outra , a Tiaconazol para pele ( micótica), ela eu passei três vezes ao dia após os banhos, ajudou bastante. Porém converse com seu pediatra antes de passa-la.

bpantolpomada-dermodex7302_originalamido-de-milho-maizena-1-kg-50236757

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook@acordeimae e nos siga no instagram@acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Episiotomia o famoso “pique”

A episiotomia e a incisão feita na região do períneo também conhecida vulgarmente como “pique” .

Converse com sua obstetra sobre a real necessidade do mesmo. Lembrando que antigamente a episiotomia era feita como rotina , hoje a indicação é outra ; se feita sem necessidade pode trazer mais malefícios do que benefícios e pode ser considerado um crime contra a mulher, fique atenta!

Procure se informar antes a hora correta de fazer o corte é quando a cabeça do bebê já está aparecendo, mas existem indícios de que a gestante poderá precisar passar pelo do procedimento no parto já durante as consultas de pré-natal. A gestante tem o direito de ser informada e também  todo o direito de recusar, desde que ciente das consequências.

Existem casos que episiotomia é necessária são eles:

  • Sofrimento fetal;
  • O bebê estiver juntamente com a mãe fazendo muita força para nascer;
  • Parto fórceps ou vácuo extrator;’
  • Bebê estiver sentado;
  • Se no momento da expulsão sua obstetra acreditar que haverá uma laceração muito grande e o que ocorre na maioria dos casos.

Se prepare, faça massagens indicadas pelo obstetra e faça também o Epi-no . O nome deste aparelho alemão vem de “Episiotomia-não”.

Ele  trabalha a musculatura e flexibilidade do períneo e esse treino é feito sob a supervisão de um fisioterapeuta a partir 37° semana.

Imagem : Healthy Pregnancy

Nota:  Este artigo pode ser publicado em outros sites, citando o autor e via “Acordei Mãe” com link para nosso site.

By Simone Araújo

 

Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acesse http://www.acordeimae.com.br

Dia de visita ao pediatra 

Isso é algo que religiosamente a mãe do bebê tem que seguir à risca , o acompanhamento regular ao pediatra é indispensável nos dois primeiros anos de vida, a primeira visita deve ocorrer até que o bebê complete uma semana . A periodicidade até os seis meses é mensal a partir daí uma visita bimestral é suficiente. De um ano em diante as consultas podem ser a cada três meses.

No meu caso o pediatra Dr. Edmo Nery Oliveira faz o acompanhamento até um ano mensalmente. Eu o adoro , super atencioso ,disponível e direto!

Em caso de vômito ou diarreia com sangue, queda ou choro intenso que não passa, por exemplo, é necessário levar o bebê imediatamente ao pronto-socorro, tais situações são urgentes e necessitam de tratamento rápido e imediato.

Um bom pediatra irá tocar, sentir e escutar , o exame físico do bebê tem quer ser feito com a criança sem roupas, onde o pediatra irá escutar seu coração, pulmão, olhar a garganta , olhos, ouvidos, pele, medir temperatura e examinar minuciosamente a barriguinha através de toques , e em casos de meninos examinar o pênis para verificar caso de uma fimose.

O ideal antes de ir ao pediatra e anotar as dúvidas  entre os intervalos das visitas. Dúvidas sobre dificuldades na alimentação, amamentação, cólicas, refluxo ,  vômitos, dúvidas advindas crescimento do bebê e tudo que mãe tenha dúvidas em relação aos cuidados do mesmo e levar essas dúvidas ao dia da visita.Preparar essa lista garante que você volte para casa com todas as perguntas respondidas.

Outro detalhe muito importe é a escolha do pediatra além da indicação, empatia procure um profissional solicito e disponível que você possa tirar alguma dúvida por telefone e WhatsApp no momento de emergência.Muitos profissionais não gostam e muitas vezes nem passam celular e quem é mãe sabe na hora da emergência o quanto ajuda quando se tem um  pediatra lhe dá help pelo telefone , pra mim este tratamento é super importante e faz toda a diferença.Vale aqui o bom senso não vá se consultar por telefone, apenas emergências.

Hoje foi dia de visita , 😍

Foto: Simone Araújo

By Simone Araújo

PERIGO: Sobre o uso de faixa na cabeça, usar ou não usar?

baby-1426648_1920-1

Foto: Pixabay

 

A quem diga que não faz mal algum e que ache lindo , a quem fique incomodada em ver a bebê com aquela faixa apertada. Gostos  a parte no mês de agosto surgiu uma polêmica depois de uma postagem nas redes sociais do  Dr. José Eduardo Osteopata  na qual ele informa os prejuízos do uso da faixa em bebês.

Segue o relato

“Na última semana recebi em meu consultório um bebê com queixas de refluxo gastroesofágico e insônia, várias causas podem estar relacionadas a esses sintomas mas o que me chamou atenção foi o uso de uma faixa na cabeça. Sabemos que a sutura occiptomastóide pode sofrer uma compressão devido ao uso dessa faixa, o nervo vago (que comanda o sistema gastrointestinal) passa próximo deste local mais precisamente forame jugular e pode ter sua função alterada, podendo gerar sintomas, o uso da faixa pode estar correlacionado com os sintomas.

Estudos já comprovaram que os ossos do crânio se movimentam e no bebê esse movimento é facilmente percebido, no momento do nascimento todos os ossos do crânio são constituídos por um só tecido, a ossificação não está formada e isso permite uma flexibilidade articular imprescindível para o funcionamento de todo corpo. Diferentes fatores podem perturbar o movimento e a flexibilidade do crânio do bebê, um desses fatores pode ser essa FAIXA.

Os bebês, em alguns momentos dão sinais que a FAIXA está incomodando e interferindo em outros sistemas do corpo:

– O bebê se movimenta muito para tirar a faixa;
– O bebê muda o comportamento podendo ficar inquieto ou sonolento;
– No dia em que usou a faixa dorme mal;
– No dia que usou a faixa aumenta o refluxo gastroesofágico;
– Alteração do funcionamento do sistema gastrointestinal.

Um Osteopata pode correlacionar as disfunções do crânio com os sintomas do bebê.

O tratamento osteopático não exclui o tratamento do médico pediatra, para um beneficio maior do bebê ambos devem ocorrer simultaneamente”

Alguns médicos dizem que não há estudos suficientes para polemizar seu uso, o que vale é bom senso se optar pelo uso escolha as de material mais delicado e macio e que  não faça tanta pressão na cabeça do bebê.

Evite também adereços que soltem peças penas pois podem ser engolidas e sempre opte pelo conforto, segurança e saúde do bebê.

Segue abaixo comentários referentes à credibilidade da informação;

13918863_10209803163453164_1231397308_o

By Simone Araújo