Grávida de 17 meses.. na China. Pode isso produção?

Wang Shi afirma estar oito meses após sua prevista para o parto, mas diz que gestar o bebê por mais meses que o natural não lhe causou nenhum problema físico
Com esta alegação Wang
está exigindo que os médicos realizem uma cesariana, seu parto tinha data prevista para novembro de 2015 ( ano passado).

Como qualquer grávida foi ao hospital com no período de previsão para seu parto , mas os médicos da  Província de Hunan, na China Central disseram que ela não estava pronta para dar à luz, citando uma placenta aparentemente subdesenvolvida.

Wang reclama  “Meu marido e eu voltamos ao hospital uma vez por semana desde a minha data de parto na esperança de entregar o bebê.
“Ele nos custou mais de 10.000 RMB (£ 1.156) apenas para os check-ups sozinho, e agora temos perdido a nossa paciência.”

Wang, que ganhou 25,2 kg desde que supostamente ficou grávida há quase dois anos, disse que é fisicamente forte e que esta cansada  e que longa gestação causou estranhes na família e conhecidos e que se sente envergonhada “Eu me sinto envergonhada por estar grávida por tanto tempo, espero conseguir com sucesso e segurança o meu bebê no próximo mês”.

Os médicos disseram a Wang que sua placenta é atualmente um “grau 2” – referindo-se à sua condição placenta prévia, em que o órgão permanece na parte inferior do útero em vez de crescer e se estendendo para o topo de acordo com a progressão da gravidez.

 

De acordo com o jornal “Changsha Evening News”, um médico afirmou ser “impossível” estar grávida de 17 meses. Outro médico disse que Wang se recusou a fazer ultrassom e que está inventando a história.

“Eu olhei os resultados de alguns exames e ela está grávida, provavelmente, de 38 semanas. Ou seja, tudo segue normal. Não há evidências que provem que ela esteja grávida de 17 meses”, afirmou o médico que não quis se identificar.

Wang, de fato, não tem nenhum exame do início da gravidez e pode muito bem estar mentindo para entrar no Guinness Book, o Livro dos Recordes. Atualmente, a gravidez considerada a mais longa da história foi de uma mulher chamada Beulah Hunter que carregou seu bebê no útero por 375 longos dias.



Fonte: Woman claims she’s been pregnant for SEVENTEEN MONTHS and has gained incredible 4st since child was conceived – Mirror Online

Anúncios

Mulher engravida duas vezes na mesma gestação em caso raro na medicina

 

 

A australiana Kate Hill estava lutando para engravidar e, para isso, passou por um tratamento hormonal. O que Kate não esperava era engravidar duas vezes no intervalo de dez dias, numa condição raríssima chamada superfetação, que segundo registros da medicina só aconteceu uma dezena de vezes.

“A superfetação é extremamente rara. Eu estava grávida e meu corpo liberou outro óvulo dando aos embriões diferentes idades gestacionais. O que torna este caso ainda mais raro é que meu marido e eu só tivemos relações sexuais uma vez. Seu esperma permaneceu vivo durante dez dias para fertilizar o óvulo liberado na segunda vez”, contou Kate ao programa de TV australiano “Tonight Today”.

 

 

 

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Gravidez em Mola, o que é?

Imagem : Tua Saúde

A gravidez em mola, também chamada de gravidez molar ou mola hidatiforme, é uma complicação rara da gravidez que leva ao aborto espontâneo e que pode ser classificada em completa ou parcial.

Na gravidez em mola completa o feto recebe apenas as células do pai duplicadas e na parcial o feto recebe as células duplicadas do pai mais as células da mãe. Estas alterações formam um emaranhado de células semelhantes a cachos de uvas no útero da mulher, causando a malformação da placenta e do feto, não havendo a possibilidade deste se tornar um bebê.

Este conjunto de células anormais pode espalhar-se e gerar complicações, como o câncer, por exemplo. Veja: Gravidez Molar pode causar Câncer.

Sintomas da gravidez em mola

Os sintomas da gravidez em mola podem ser semelhantes aos de uma gravidez normal, como atraso menstrual e enjoos matinais, mas após a 6ª semana de gestação pode haver:

  • Aumento exagerado do útero;
  • Sangramento vaginal intenso ou não;
  • Dor abdominal e nas costas.

O diagnóstico da gravidez molar é feito através do exame de sangue, que mostra quantidades muito elevadas do hormônio Beta HcG e através do ultrassom transvaginal, que evidencia a malformação.

As causas da gravidez em mola ainda não são totalmente conhecidas, mas acredita-se que ela ocorra quando o óvulo é fecundado por 2 espermatozoides ao mesmo tempo.

O que pode causar gravidez molar

As causas da gravidez molar ainda não foram esclarecidas, mas se sabe que o erro pode ocorrer quando 2 espermatozoides fecundam o mesmo óvulo.

Tratamento da gravidez em mola

O tratamento da gravidez em mola pode ser feito com o uso de remédios que provocam o aborto ou aspiração uterina, que consiste na sucção do interior do útero, para remover totalmente as células anormais.

Algumas mulheres mesmo após a curetagem podem permanecer com células do embrião dentro do útero e estas podem virar um câncer. Caso ela seja diagnosticada com um tumor maligno o tratamento deve ser realizado à base de quimioterapia ou cirurgia, e ela deverá realizar o exame de sangue Beta HcG durante 1 ano.

A mulher que teve uma gravidez molar deve esperar cerca de 1 ano antes de engravidar novamente, sendo que o risco de voltar a ter gravidez em mola é muito pequeno, com cerca de 1%.

A gravidez molar pode trazer graves complicações para a saúde da mulher, porque pode dar origem ao câncer, chamado de neoplasia trofoblástica gestacional, caso o aborto clínico ou a curetagem não sejam capazes de eliminar completamente os restos ‘fetais’.

Há suspeita de câncer trofoblástico gestacional quando existem sintomas como útero aumentado, sangramento vaginal e cistos nos ovários, podem. No entanto, praticamente metade das mulheres afetadas não apresentam nenhum sintoma. O diagnóstico desse tipo de câncer geralmente é feito através do Beta HCG altos ou pelo aparecimento de metástase, mais comuns no pulmão ou na região genital.

Como tratar a gravidez molar

Por volta das 6 ou 8 semanas de gestação deverá acontecer um aborto espontâneo, pois o desenvolvimento do embrião não é possível. Caso a gravidez molar tenha sido descoberta antes do aborto espontâneo é necessário provocar o aborto com o uso de medicamentos abortivos indicados pelo ginecologista ou obstetra, ou então deve-se realizar a aspiração uterina, para garantir que o útero fique devidamente limpo.

A aspiração uterina é mais indica que a curetagem porque algumas mulheres mesmo após a curetagem podem permanecer com células do embrião dentro do útero e estas podem vir a tornar-se num tumor maligno dependendo de cada caso. Caso ela seja diagnosticada com um tumor maligno o tratamento deverá ser realizado à base de quimioterapia e/ou cirurgia para remoção do útero ou das trompas se estas também forem afetadas.

Após o tratamento inicial a mulher deve ser acompanhada durante 1 ano realizando o exame para avaliar o Beta HCG porque se restarem mesmo que minúsculos vestígios da mola dentro do útero, haverá aumento desse hormônio, o que significa que é preciso realizar uma nova curetagem para limpar completamente o útero.

Fonte:Tua Saúde Entenda o que é Gravidez em Mola

Maternar: Não passe pó de café no bico do seio; saiba como fazer um desmame respeitoso

Marina amamenta seu bebê na primeira hora de vida (foto: Lela Beltrão/Coletivo Buriti)

O bebê nasceu e teve a sorte de ser levado para o colo da mãe logo na primeira hora de vida. Com ajuda da mãe, conseguiu pegar o peito e mamar sem muita dificuldade.

Por dois anos manteve essa relação com aquela a quem aprendeu a chamar de mãe. Mamava quando bem entendia, em livre demanda. De repente, da noite para o dia, a mãe passou a negar o seio. Um belo dia passou um pó escuro e amargo no bico do peito. Depois, colocou um esparadrapo e disse que o tetê estava dodói.

É assim que essa experiência tão importante na vida da mãe e da criança merece terminar? Infelizmente, ainda existem mães que são orientadas a fazer um desmame abrupto, sem levar em conta o tempo de cada criança e a necessidade de que ela compreenda o que está acontecendo.

“Outro método equivocado é a ausência materna, aquele em que a mãe viaja ou some da vida da criança por um tempo, vai para a casa de um parente, numa tentativa de terminar com a amamentação de uma vez”, afirma a psicóloga Bianca Balassiano, consultora em amamentação.

O ruim dessas estratégias é que elas não ajudam a criança a compreender a mudança que está ocorrendo. Com o sumiço da mãe, o que ela vai sentir é abandono.

“Não julgo quem faz, cada um sabe onde o calo aperta, há pessoas que chegam a situações de risco à própria saúde mental. Mas como forma de trabalho, não recomendo, não é interessante. Amamentação vai além da nutrição. É uma relação para ser tão bacana e não merece esse tipo de final”, diz Bianca.

Para que o desmame seja respeitoso, ele precisa ser conduzido _chamado também de desmame respeitoso ou gentil. Isso não significa que a criança não vai chorar.

“Você está quebrando um hábito na vida de uma criança. Tem o choro, mas não é o choro de uma criança que está se sentindo abandonada porque não entende o que está acontecendo e teve que desmamar de um dia para o outro. Ela está na casa dele, com a mãe dele, recebendo afeto, brincando, curtindo, mas está chateada e estressada porque está passando por uma mudança de hábito”, diz Bianca.

E quando iniciar o desmame? Primeiro, a mãe tem que estar certa sobre essa decisão. “É preciso entender se é uma demanda genuína, se é uma vontade real e verdadeira dessa mãe ou se está sofrendo pressão da família, do marido, do trabalho”, afirma a consultora.

Também é importante que a criança esteja madura o suficiente para entender a situação. Não existe uma regra que determine a idade certa para desmamar, mas Bianca diz que fica mais fácil com crianças a partir de 18 meses. “Quanto mais velha, mais fácil, pois o nível de compreensão aumenta”, diz. “O processo é mais trabalhoso que doloroso, uma vez que a mãe entende que está mexendo nos hábitos da criança. E isso traz uma certa revolta e até agressividade. Tem que ter certeza daquele momento, da prontidão da criança.”

A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que os bebês sejam alimentados exclusivamente com leite materno até os seis meses e, a partir daí, complementada até pelo menos os 2 anos ou mais.

DICAS PARA O DESMAME CONDUZIDO

Muitas mães que começam a pensar em desmamar estão cansadas de acordar no meio da noite. Apesar da vontade de dormir mais, o desmame noturno costuma ser o último a acontecer.

“Acho difícil fazer o desmame noturno sem fazer a regulação das mamadas do dia. Se faz livre demanda de dia, é mais difícil desmamar à noite. Funciona melhor primeiro ensinar a essa criança que tem horário fixo para ir ao seio, que não é toda hora que pede que vai ter, que tem alguém que coloca regra nisso e esse alguém é a mãe, associar as mamadas com as coisas que vai fazer, dentro do vocabulário dela. Aí fica mais fácil de fazer o desmame noturno”, diz Bianca.

A consultora adota principalmente três técnicas para ajudar a conduzir o desmame: adiamento da mamada, substituição da mamada e redução da duração da mamada.

“No adiamento, quando o pedido acontece fora dos momentos previstos, a mãe vai adiar, vai repetir que não é hora de mamar, com o vocabulário da criança. Vai dizer que ela vai mamar depois do banho, depois do almoço, depois do passeio. De uma forma que a criança compreenda e se estabeleça um contrato, um cobinado”, diz.

Na substituição, a mãe vai dizer para a criança que “agora é hora de brincar, de passear, de ir na casa da vovó, de ver televisão”.

“Redução é para aquelas mães que estão com muita dificuldade para cortar mamadas e a gente pega aquelas que são mais facilmente eliminadas e dá uma diminuída no tempo. Você pega aquela criança que gosta de mamar longamente e combina que a mamada vai durar até o fim de uma música, até contar até dez. E tira do seio assim que terminar”, conta a consultora.

Segundo a presidente da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), Luciana Rodrigues, o desmame começa a partir da introdução alimentar.

“Desmame tem de ser feito lentamente até para testar a deglutição, como criança está mastigando, engolindo. O conselho que a gente dá é que a mãe tenha calma e tranquilidade, que tudo vai dar certo”, diz Luciana.

E se a criança chorar? Ela recomenda que a mãe dê carinho ao filho. “Não precisa dar o peito toda vez que chora, pega no colo e aconchega.”

Fonte: http://br.gundem.me/detail/?id=686013 e Folha de São Paulo

Triste matéria do Jornal do Cidade Alerta, sem palavras com tanta maldade.

 

Fonte: Cidade Alerta – Record

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Tortura!!! Pai e Mãe torturavam bebê de 4 meses

Mãe é detida por abandono de incapaz após morte de bebê, em Goiás

cleaning-up-294085_1280

 

 

A Polícia Civil investiga a morte de um menino de 1 ano e três meses que supostamente foi vítima de afogamento, em Goiânia. De acordo com a corporação, a mãe disse que deixou a criança com o irmão mais velho e saiu de casa para comprar comida, quando o bebê caiu em um balde. A mulher foi autuada em flagrante por abandono de incapaz e segue detida.

De acordo com a Polícia Civil, a mulher relatou que foi a um restaurante nas proximidades de casa e, quando voltou, não encontrou o bebê no local. Ela recebeu a notícia de que um vizinho tinha socorrido o menino.

A mulher seguiu então para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol), pensando que o filho estava lá, mas não o encontrou. Então ela foi até o Centro Integral de Atendimento à Saúde (Cais) Cândida de Morais, onde já soube que a criança estava morta.

A Polícia Militar foi acionada e encaminhou a mulher até a Central de Flagrantes. No local, ela foi ouvida e acabou autuada em flagrante por abandono de incapaz. A mãe permanecia detida na tarde desta quarta-feira (26).

O caso será encaminhado à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). A causa da morte da criança ainda será confirmada pelo Instituto Médico Legal (IML).

Um caso aconteceu mês passado em Campo Grande Mãe Bebê de 1 ano morre afogado em balde enquanto pais limpavam casa 

Todo cuidado é pouco , se for sair leve a criança consigo ou deixe um adulto responsável pelo cuidado do mesmo.

Fonte: G1 – Mãe é detida por abandono de incapaz após morte de bebê, em Goiás – notícias em Goiás

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Mãe adormece durante amamentação e bebê de dois meses morre asfixiado em Goiânia

 

Este não é primeiro caso, temos que ficar atentas na hora da amamentação e evitar dormir com a criança no colo para evitar este tipo de acidentes. Ser mãe é cansativo mas este é um cuidado que devemos ter.

Neste domingo (30), na capital Goiânia (GO), uma criança de dois meses morreu asfixiada. Segundo o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), a mãe alegou que amamentava o bebê quando pegou no sono, dormiu sobre o corpo da criança e a sufocou.

Duas viaturas do Samu estiveram no local para tentar socorrer a vítima, mas os paramédicos não tiveram sucesso. O local permanece isolado pela Polícia Militar (PM-GO) até a conclusão da perícia.

Fonte: Por Marcelo Carlos (com as informações de O Popular)

Fonte: Mãe adormece durante amamentação e bebê de dois meses morre asfixiado em Goiânia

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Turnê Mundo Bita em Goiânia 13/11

Pela primeira vez em Goiânia-GO, Show do Bita – Nova Turnê no dia 13 de Novembro às 16h no teatro SESI. Vai ser pura diversão!!!
Ingressos a venda: https://goo.gl/wV9EQE

14692037_1221566371252163_5305081121055844778_o

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

A gravidez é o momento da mulher, é não há quem duvide disso. Mas uma Huggies marca de fraldas resolveu dar aos papais uma chance de sentir os movimentos do bebê dentro da barriga, por meio de um cinto especial. A ideia é a seguinte: um lado do cinto fica ligado à barriga da mulher e a outra a do pai, que passa a sentir os ‘chutes’ do bebê.

Lindo e emocionante vale a pena assistir!

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Marca de fraldas cria cinto para fazer papais sentirem bebês , emocionante!