Grávida de 17 meses.. na China. Pode isso produção?

Wang Shi afirma estar oito meses após sua prevista para o parto, mas diz que gestar o bebê por mais meses que o natural não lhe causou nenhum problema físico
Com esta alegação Wang
está exigindo que os médicos realizem uma cesariana, seu parto tinha data prevista para novembro de 2015 ( ano passado).

Como qualquer grávida foi ao hospital com no período de previsão para seu parto , mas os médicos da  Província de Hunan, na China Central disseram que ela não estava pronta para dar à luz, citando uma placenta aparentemente subdesenvolvida.

Wang reclama  “Meu marido e eu voltamos ao hospital uma vez por semana desde a minha data de parto na esperança de entregar o bebê.
“Ele nos custou mais de 10.000 RMB (£ 1.156) apenas para os check-ups sozinho, e agora temos perdido a nossa paciência.”

Wang, que ganhou 25,2 kg desde que supostamente ficou grávida há quase dois anos, disse que é fisicamente forte e que esta cansada  e que longa gestação causou estranhes na família e conhecidos e que se sente envergonhada “Eu me sinto envergonhada por estar grávida por tanto tempo, espero conseguir com sucesso e segurança o meu bebê no próximo mês”.

Os médicos disseram a Wang que sua placenta é atualmente um “grau 2” – referindo-se à sua condição placenta prévia, em que o órgão permanece na parte inferior do útero em vez de crescer e se estendendo para o topo de acordo com a progressão da gravidez.

 

De acordo com o jornal “Changsha Evening News”, um médico afirmou ser “impossível” estar grávida de 17 meses. Outro médico disse que Wang se recusou a fazer ultrassom e que está inventando a história.

“Eu olhei os resultados de alguns exames e ela está grávida, provavelmente, de 38 semanas. Ou seja, tudo segue normal. Não há evidências que provem que ela esteja grávida de 17 meses”, afirmou o médico que não quis se identificar.

Wang, de fato, não tem nenhum exame do início da gravidez e pode muito bem estar mentindo para entrar no Guinness Book, o Livro dos Recordes. Atualmente, a gravidez considerada a mais longa da história foi de uma mulher chamada Beulah Hunter que carregou seu bebê no útero por 375 longos dias.



Fonte: Woman claims she’s been pregnant for SEVENTEEN MONTHS and has gained incredible 4st since child was conceived – Mirror Online

Anúncios

Mulher engravida duas vezes na mesma gestação em caso raro na medicina

 

 

A australiana Kate Hill estava lutando para engravidar e, para isso, passou por um tratamento hormonal. O que Kate não esperava era engravidar duas vezes no intervalo de dez dias, numa condição raríssima chamada superfetação, que segundo registros da medicina só aconteceu uma dezena de vezes.

“A superfetação é extremamente rara. Eu estava grávida e meu corpo liberou outro óvulo dando aos embriões diferentes idades gestacionais. O que torna este caso ainda mais raro é que meu marido e eu só tivemos relações sexuais uma vez. Seu esperma permaneceu vivo durante dez dias para fertilizar o óvulo liberado na segunda vez”, contou Kate ao programa de TV australiano “Tonight Today”.

 

 

 

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Gravidez em Mola, o que é?

Imagem : Tua Saúde

A gravidez em mola, também chamada de gravidez molar ou mola hidatiforme, é uma complicação rara da gravidez que leva ao aborto espontâneo e que pode ser classificada em completa ou parcial.

Na gravidez em mola completa o feto recebe apenas as células do pai duplicadas e na parcial o feto recebe as células duplicadas do pai mais as células da mãe. Estas alterações formam um emaranhado de células semelhantes a cachos de uvas no útero da mulher, causando a malformação da placenta e do feto, não havendo a possibilidade deste se tornar um bebê.

Este conjunto de células anormais pode espalhar-se e gerar complicações, como o câncer, por exemplo. Veja: Gravidez Molar pode causar Câncer.

Sintomas da gravidez em mola

Os sintomas da gravidez em mola podem ser semelhantes aos de uma gravidez normal, como atraso menstrual e enjoos matinais, mas após a 6ª semana de gestação pode haver:

  • Aumento exagerado do útero;
  • Sangramento vaginal intenso ou não;
  • Dor abdominal e nas costas.

O diagnóstico da gravidez molar é feito através do exame de sangue, que mostra quantidades muito elevadas do hormônio Beta HcG e através do ultrassom transvaginal, que evidencia a malformação.

As causas da gravidez em mola ainda não são totalmente conhecidas, mas acredita-se que ela ocorra quando o óvulo é fecundado por 2 espermatozoides ao mesmo tempo.

O que pode causar gravidez molar

As causas da gravidez molar ainda não foram esclarecidas, mas se sabe que o erro pode ocorrer quando 2 espermatozoides fecundam o mesmo óvulo.

Tratamento da gravidez em mola

O tratamento da gravidez em mola pode ser feito com o uso de remédios que provocam o aborto ou aspiração uterina, que consiste na sucção do interior do útero, para remover totalmente as células anormais.

Algumas mulheres mesmo após a curetagem podem permanecer com células do embrião dentro do útero e estas podem virar um câncer. Caso ela seja diagnosticada com um tumor maligno o tratamento deve ser realizado à base de quimioterapia ou cirurgia, e ela deverá realizar o exame de sangue Beta HcG durante 1 ano.

A mulher que teve uma gravidez molar deve esperar cerca de 1 ano antes de engravidar novamente, sendo que o risco de voltar a ter gravidez em mola é muito pequeno, com cerca de 1%.

A gravidez molar pode trazer graves complicações para a saúde da mulher, porque pode dar origem ao câncer, chamado de neoplasia trofoblástica gestacional, caso o aborto clínico ou a curetagem não sejam capazes de eliminar completamente os restos ‘fetais’.

Há suspeita de câncer trofoblástico gestacional quando existem sintomas como útero aumentado, sangramento vaginal e cistos nos ovários, podem. No entanto, praticamente metade das mulheres afetadas não apresentam nenhum sintoma. O diagnóstico desse tipo de câncer geralmente é feito através do Beta HCG altos ou pelo aparecimento de metástase, mais comuns no pulmão ou na região genital.

Como tratar a gravidez molar

Por volta das 6 ou 8 semanas de gestação deverá acontecer um aborto espontâneo, pois o desenvolvimento do embrião não é possível. Caso a gravidez molar tenha sido descoberta antes do aborto espontâneo é necessário provocar o aborto com o uso de medicamentos abortivos indicados pelo ginecologista ou obstetra, ou então deve-se realizar a aspiração uterina, para garantir que o útero fique devidamente limpo.

A aspiração uterina é mais indica que a curetagem porque algumas mulheres mesmo após a curetagem podem permanecer com células do embrião dentro do útero e estas podem vir a tornar-se num tumor maligno dependendo de cada caso. Caso ela seja diagnosticada com um tumor maligno o tratamento deverá ser realizado à base de quimioterapia e/ou cirurgia para remoção do útero ou das trompas se estas também forem afetadas.

Após o tratamento inicial a mulher deve ser acompanhada durante 1 ano realizando o exame para avaliar o Beta HCG porque se restarem mesmo que minúsculos vestígios da mola dentro do útero, haverá aumento desse hormônio, o que significa que é preciso realizar uma nova curetagem para limpar completamente o útero.

Fonte:Tua Saúde Entenda o que é Gravidez em Mola

Papais sentindo a sensação que nos mamães sentimos com chutes do bebê e o com a dor do parto

By Simone Araújo
Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_

Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Vídeo Parto cesário

Segue imagem de um parto cesáreo em animação .


Imagem : Healthy Pregnacy

By Simone Araújo

Curta nossa página no facebook@acordeimae e nos siga no instagram@acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acessehttp://www.acordeimae.com.br

Episiotomia o famoso “pique”

A episiotomia e a incisão feita na região do períneo também conhecida vulgarmente como “pique” .

Converse com sua obstetra sobre a real necessidade do mesmo. Lembrando que antigamente a episiotomia era feita como rotina , hoje a indicação é outra ; se feita sem necessidade pode trazer mais malefícios do que benefícios e pode ser considerado um crime contra a mulher, fique atenta!

Procure se informar antes a hora correta de fazer o corte é quando a cabeça do bebê já está aparecendo, mas existem indícios de que a gestante poderá precisar passar pelo do procedimento no parto já durante as consultas de pré-natal. A gestante tem o direito de ser informada e também  todo o direito de recusar, desde que ciente das consequências.

Existem casos que episiotomia é necessária são eles:

  • Sofrimento fetal;
  • O bebê estiver juntamente com a mãe fazendo muita força para nascer;
  • Parto fórceps ou vácuo extrator;’
  • Bebê estiver sentado;
  • Se no momento da expulsão sua obstetra acreditar que haverá uma laceração muito grande e o que ocorre na maioria dos casos.

Se prepare, faça massagens indicadas pelo obstetra e faça também o Epi-no . O nome deste aparelho alemão vem de “Episiotomia-não”.

Ele  trabalha a musculatura e flexibilidade do períneo e esse treino é feito sob a supervisão de um fisioterapeuta a partir 37° semana.

Imagem : Healthy Pregnancy

Nota:  Este artigo pode ser publicado em outros sites, citando o autor e via “Acordei Mãe” com link para nosso site.

By Simone Araújo

 

Curta nossa página no facebook @acordeimae e nos siga no instagram @acordeimae_
Se inscreva no blog e receba por e-mail as novidades do mundo materno além de promoções e dicas acesse http://www.acordeimae.com.br